30.5.11

Fim de capítulo

Este vosso companheiro, chega ao fim de um capítulo ao serviço do canetapermanente.
Foram bons anos, boas postas, e prazer na escrita e na leitura, mas, infelizmente, já não sinto o carinho que me levou a fazer o desafio de criarmos este espaço.
Razões haverá várias, mas a essencial prende-se com um desejo de privacidade que sinto violado, quando escrevo, exponho, ou publico alguma coisa, sobretudo noutros espaços.
A violação mais grave surge quando o que publico se presta a interpretações várias, estejam elas certas ou erradas, quando não se pergunta ao próprio, quando se destrói magoando terceiros.
É hora de dizer Adeus, agradecendo ao Carlos por ter alinhado desde o primeiro momento no desafio. Ao brilhante Ricardo pela maravilhosa forma como escreve. Ao João por nos fazer companhia de qualidade.
E à musa, de uns e de outros, nascida já ou ainda não, porque sem ela este lugar não faria sentido.

Zeca

28.5.11

O nosso próximo primeiro-ministro

O nosso próximo primeiro-ministro não sabia (!?) que o memorando da troika ia sofrer ajustamentos.

O nosso próximo primeiro-ministro votou "sim" no referendo ao aborto, mas admite uma nova consulta popular.

O nosso próximo primeiro-ministro prometeu, em alto e bom som, um Governo "enxuto" com 10 ministros, mas agora já admite que podem ser mais.

O nosso próximo primeiro-ministro, à primeira crítica, promete que vai rever o programa para a educação.

O nosso próximo primeiro-ministro propôs uma revisão constitucional ambiciosa, que agora está remetida para o esquecimento de uma gaveta.

O nosso próximo primeiro-ministro diz uma coisa de manhã e o seu contrário à tarde... todos os dias.

Ou seja, reúne todas as condições para desempenhar o cargo.

20.5.11

Ana Rita Clara


Apareceu a norte na televisão. Ana Rita Clara transporta beleza e sensualidade, num rosto que se me afigura familiar. E tem, claro, as sobrancelhas naturalmente perfeitas. Não é o único atributo. E ainda bem.

12.5.11

Votar sim, mas em quem? (2)

"As grandes questões" de Eduardo Catroga, "passe a expressão"



O (ex-) futuro ministro das Finanças??!!

5.5.11

"Troika"

Depois de três semanas de trabalho, a "troika" (FMI, BCE e Comissão Europeia) terminou a sua missão em Portugal.

Deixa um "cheque", de 78 mil milhões de euros de ajuda, sujeitos a um conjunto de condições e sacrifícios... mais a respectiva taxa de juro, porque ninguém está aqui para perder dinheiro, a não ser - eventualmente - os portugueses.

O plano não é tão duro quanto foi na Grécia e na Irlanda, mas não é brincadeira. Das duas conferências de imprensa desta manhã, de cujo conteúdo tive apenas conhecimento indirecto, retenho duas frases que aqui deixo para "registo de memória futura":

"Programa não tem boas notícias, mas é uma oportunidade", disse o reaparecido ministro Teixeira dos Santos.

“[Programa] Ousado, exigente, mas equilibrado e justo”, resumiu a "troika".

Daqui a três, se ainda cá estivermos e houver Portugal, faremos o relatório e contas desta "ajuda" que alguns economistas consideram insuficiente.

Uma das análises que vai ter que se fazer é se o primeiro-ministro fez bem em atrasar ao máximo (e diabolizar) o pacote de ajuda internacional; outra é saber se estamos ou não melhor lá para 2014.

2.5.11

"Bin Laden is dead, Justice has been done"



Dia histórico na luta contra o terrorismo, mas continuo a achar exagerados os festejos de uma morte como se de um golo no futebol se tratasse.

25.4.11

25 de Abril. Sempre

Neste dia, lembro sempre duas pessoas que muito admiro e a quem nós (todos) devemos um dos bens essenciais da humanidade: a Liberdade.

Zeca Afonso e Salgueiro Maia são os heróis que, pelo menos hoje, têm que ser lembrados e elogiados,

Por aquilo que fizeram, por aquilo que conseguiram... sem pedir nada em troca.

Respect

A Salgueiro Maia
Aquele que na hora da vitória
respeitou o vencido

Aquele que deu tudo e não pediu a paga

Aquele que na hora da ganância
Perdeu o apetite

Aquele que amou os outros e por isso
Não colaborou com a sua ignorância ou vício

Aquele que foi «Fiel à palavra dada à ideia tida»
como antes dele mas também por ele
Pessoa disse

Sophia de Mello Breyner Andresen

22.4.11

Votar sim, mas em quem? I

Estreia hoje no "Caneta Permanente" uma rubrica que nos vai acompanhar até às eleições legislativas de 5 de Junho.

Neste post de abertura deixo aqui três notas essenciais:

1) as sondagens dão conta, esta semana, de uma aproximação do PS ao PSD. Se José Sócrates ainda for ganhar as eleições, no quadro de crise que o país atravessa, é um verdadeiro milagre político que mereceria análise cuidada de todos os politólogos mundiais.

2) a forma como o PS deixou cair o ministro Teixeira dos Santos das listas a deputados é reveladora do ambiente de guerrilha que parece instalado entre o ministro das Finanças e o primeiro-ministro. Amigos, amigos, listas à parte, pensam uns, mas também é revelador do feitio de Sócrates que não perdoa nem aos seus maiores amigos (ou ex).

3) os senhores do FMI devem estar passados com os cinco dias de "férias" que a maioria dos portugueses goza entre quinta e segunda-feira.

20.4.11

Marion Cotillard

Paris já deu muitas coisas boas ao mundo, certamente mais de 20. E uma delas, sem dúvida, chama-se Marion Cotillard.